Recentemente vários criadores andam postando em seus canais vídeos com títulos de desabafos e o estado atual do YouTube, como vemos no caso de Guilherme Coelho, Davy Jones e Satty. Nesses vídeos podemos ver claramente que nossos influenciadores já estão cansados de tanta briga e discórdia, além de desabafarem sobre as mudanças que o YouTube vem fazendo por causa dessas intrigas.

Por causa da enorme polêmica do Youtuber Pewdiepie ter feito piadas sobre anti-semitas recebemos uma função de limitação de monetização. E recentemente, Logan Paul, por ter feito um vídeo debochando de um suicídio, outra vez a plataforma agiu limitando Youtubers menores poderem monetizar seus vídeos, e para a maioria, será realmente implementado no próximo mês.

Veja o vídeo de Guilherme Coelho, do canal mateiformiga, demonstrando seu ponto de vista:

Nós, Youtubers, estamos cada vez mais vendo essa belíssima plataforma de vídeos tendo uma enorme decaída por causa de tretas. Isso é nada mais nada menos que o fim do YouTube, sem mais nem menos. Com poucas esperanças, só nós resta esperar.

  • Thiago Silva

    O problema que esse discurso de não-treta só vale entre os próprios criadores, pois quando se trata do público, eles não hesitam em tratar mal diante de alguma discordância. Tem até quem tem problema de Egosearch e vai atrás de usuário que não gostou do que ele fez sem nem ao menos mencioná-lo.

    É o controverso discurso: “Eu sei que muitas pessoas não gostam de mim, mas mesmo assim vou procurá-las pra saber o que essas pessoas estão dizendo de mim, e se eu não gostar vou retrucá-las assim mesmo.”

    Quando se faz conteúdo, o que menos importa é o que falam pelos flancos, o importante é a relação direta com quem está em seu canal/página, e municiar quem não gosta, acaba por enaltecê-lo dentro de um meio, basta ver a estratégia do Xbox Mil Grau, que foi promovido em meio de tretas pelos jornalistas da IGN, Voxel( que foi ainda, Uol Jogos, Velberan(que ainda fez dois videos patéticos sobre(um chorando pelo controle do Xbox ser a pilha e outro respondendo haters(o que ao meu ver mostra o quanto a pessoa está desfocada com quem prestigia e enaltece a banda podre), e Sr. Wilson, além de claro, vários outros canais menores que por meio da treta quiseram aderir a onda…

    O fato é que muitos desses grupos ou pessoas públicas não possuem preparo emocional para lidar com contrapontos, achando que o ponto de vista que possuem é absoluto e à prova de criticas. Tanto é que figuras como Whinderson e Kéfera despontavam por evitar confrontos, apesar de que Whinderson já teve de se pronunciar quando era uma ação massiva à sua pessoa, mas mesmo assim sem destacar a um ou outro e tomar como exemplo, já Kéfera aos poucos implodiu, mais a princípio nos últimos meses antes do hiato, onde começou a comprar barulho com todos e alguns episódios que foram evidenciados por representantes das maiores emissoras do país a fizeram ter uma imagem levemente danificada, mesmo que as criancinhas a adorem.

    Nisso, a assessoria precisa se fazer presente e evitar polêmicas a fim de não desgastar, pois veja o caso do Felipe Neto, um dos maiores Youtubers do país, porém igualmente odiado por ter uma língua muito grande pra falar besteira e aumentar a corrente de inimizades.

    Não acho que o quadro mudará, pois devido ao ostensivo jogo de interesses, a competitividade pelo view,o like, o share, a sede de poder corrompe essas figuras de modo a tomar atitudes anti-éticas e um puxar o tapete do outro sempre, não havendo harmonia, não havendo equilibrio, não havendo a propagação do bem por meros individualismos.

    • Des Crente

      Concordo em partes. Mas no caso do Velberan não vejo ele dar uma de hater e tem quem fica no pé dele.

  • Des Crente

    Tão cansados não. Simplesmente quando a treta vem pra cima deles aí ficam de drama. Pimenta nos olhos dos outros é refresco mas quando é dói no próprio calo api ficam de reclamação.