O YouTube anunciou, no início do mês de junho, novas regras que restringem a monetização de vídeos na plataforma. Agora, há três novos tipos de vídeos que não estão aptos para receber anúncios.

As mudanças vêm sendo feitas a fim de evitar que conteúdos considerados ofensivos ou violentos consigam gerar receita através da plataforma. As primeiras regras foram impostas em abril, quando houveram diversas denúncias de vídeos violentos e marcas deixaram de vincular anúncios em um boicote geral. Desde então, ficou impossibilitada a monetização para canais com menos de 10 mil visualizações.

Agora, a guia para criadores de contúdo explicita três novas proibições relacionadas a monetização. São elas:

Conteúdo de ódio: que promova discriminação, deprecie ou humilhe um indivíduo ou grupo de pessoas com base em raça, etnia ou origem étnica, nacionalidade, religião, incapacidade, idade, status de veterano, orientação sexual, indentidade de gênero ou outra característica associada a discriminação ou marginalização sistemática.

Uso inapropriado de personagens infantis em cenário adulto: representação desses personagens engajados em comportamentos violentos, sexuais ou inapropriados de alguma maneira, mesmo se feito com propósito satírico ou de comédia.

Conteúdo incendiário ou aviltante: conteúdo gratuitamente incendiário, infamatório ou humilhante, que use linguagem desrespeitosa que envergonhe ou insulte um indivíduo ou grupo.

Todos esses vídeos contiuam sendo permitidos no YouTube, que muitas vezes é retirado do ar a partir da solicitação de usuários ou detentores do conteúdo protegido por direitos autorais, porém, não será mais possivel monetizar.

 

Fonte: InfoMoney e CreatorAcademy

 

  • Guilherme Santana

    cabo pro funk hahahah