Desde julho, o YouTube está excluindo vídeos que contêm imagens de violência que foram manualmente analisados. Porém, a plataforma irá contratar mais funcionários para realizar a revisão desses vídeos denunciados que, se estiverem em desacordo com as regras do site, poderão ser removidos. De acordo com a Google, o contingente de trabalhadores nesta área deverá ultrapassar a marca de 10 mil pessoas.

Imagem: Gazeta Online

“Eu vi como indivíduos ruins estão explorando nossa abertura para enganar, manipular, assediar ou mesmo ferir”, disse a CEO do YouTube, Susan Wojcicki.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ao decorrer das próximas semanas, uma equipe focada nesta área deixará a plataforma mais segura para os visualizadores.

 

Fonte: veja.abril