O site de compartilhamento de vídeos Vidme, inicialmente estilizado como Viddme e hoje como Vid.me, fundado em 2014 e com apenas três anos de existência, declarou falência e está fechando as portas. Popularmente conhecido como um dos principais concorrentes do YouTube ao lado de outros sites, como Dailymotion e Vimeo, o Vidme nasceu da proposta de criar uma plataforma em que os usuários teriam a possibilidade de realizar o upload de vídeos de maneira anônima, sem registro ou burocracias, e compartilhar o link do conteúdo em qualquer lugar.

vidme falência
Primeiro layout do site em 2014. Inicialmente, a ideia era desenvolver uma plataforma extremamente simples para compartilhamento rápido de vídeos. (Imagem: Vidme)

Aos poucos a plataforma evoluiu até chegar no que é hoje, mas infelizmente, neste sábado (02), a equipe anunciou que o site será desativado definitivamente em breve, além de informar que já a partir de hoje novas contas não poderão ser criadas, vídeos não poderão ser enviados, inscrições pagas não serão mais cobradas e lucros de criadores serão pagos após verificação em até 60 dias.

Quando?

A data de apocalipse do Vidme é sexta-feira, 15 de dezembro de 2017, à meia-noite. Esse será o último dia para os usuários salvarem qualquer conteúdo que foi enviado para o site, visto que depois dessa data os servidores darão seu último suspiro e serão desligados, excluindo por completo todo o material da plataforma. A empresa informou aos usuários que eles devem fazer download dos vídeos que desejam salvar no gerenciador de vídeos do Vidme.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A equipe do Vidme fez o anúncio oficial em nome de Warren Shaeffer, co-fundador da empresa, em uma publicação via Medium, em que ele contou um pouco da história e da ideia inicial para o site, o que conquistaram e as experiências que ganharam ao longo do tempo, sugestões e insights para startups que estejam interessadas em entrar no ramo de desenvolvimento de plataformas para compartilhamento de vídeos online e os motivos que levaram a diretoria da empresa a tomar tal decisão.

Por que?

Segundo esclarecimentos do co-fundador, diversos fatores acumulados implicaram a falência do Vidme. Alguns dos principais motivos que estão levando ao fechamento da empresa são:

  • Monetizar conteúdo gerado por usuários é cada vez mais desafiador, já que os anunciantes querem segmentar públicos-alvo específicos, o que significa que uma plataforma jovem – que não tem a capacidade de armazenar toneladas de dados pessoais de usuários – está em grave desvantagem;
  • A maioria dos anunciantes atualmente querem que seus anúncios sejam vinculados apenas em conteúdo family friendly, o que exige que os vídeos sejam cuidadosamente revisados e moderados, o que, por sua vez, aumenta custos. Nesse momento da declaração oficial, o co-fundador menciona até mesmo o Adpocalipse, como ficou conhecido o fenômeno da “queda de confiança” de grandes marcas no conteúdo do YouTube em abril desse ano, o que gerou diminuição massiva de lucros para o YouTube e seus criadores;
  • Poucos anunciantes estão dispostos a negociar acordos diretos com plataformas que não têm uma escala enorme, como o YouTube ou Facebook, o que significa que as taxas de receita de anúncios são mais baixas para plataformas mais recentes como o Vidme;
  • Mesmo introduzindo o patrocínio direto de fãs como um modelo de negócios adicional, a margem de lucro foi insuficiente para cobrir os altos custos de armazenamento e entrega de vídeos;
  • A definição de “escala” mudou e atrair o público para longe das plataformas atuais já existentes é mais difícil do que nunca, em que eles mencionam que dos 10 aplicativos mais usados hoje no mundo, 8 são da Google ou do Facebook, com exceção do Snapchat e Pandora, como pode ser visto no gráfico abaixo.
vidme falência
Gráfico revela o poder das gigantes Google e Facebook no mercado atual, o que se mostrou um dos maiores obstáculos e um dos principais motivos para o fechamento do Vidme. (Imagem: Vidme)

A soma desses fatores maiores e alguns pormenores ocasionaram o fatídico fim da plataforma Vidme, se tornando mais uma empresa engolida pelo aglomerado das gigantes Google e Facebook, e que – mesmo com uma boa ideia – não encontrou o caminho da sustentabilidade financeira, gerando seu colapso estrutural. Por fim, no artigo do Medium, o co-fundador deixa claro que ainda existem planos de venda do Vidme para interessados em sua tecnologia nos próximos meses, e que a equipe continua unida trabalhando em um novo projeto que deve ser anunciado em 2018.

 

Fonte: Medium

  • Anônimo

    Que pena. Eu postava as cenas da Grazi Massafera nas novelas no vidme e fui pego de surpresa ao receber essa notícia.