Devido a repercussão gerada pelo desafio da “Baleia Azul” nos últimos dias, o Ministério Público Federal (MPF) acionou a Google, proprietária do YouTube, para investigar a publicação de vídeos que estimulam a automutilação e o suicídio por meio desse jogo. A finalidade é permitir um maior controle desses conteúdos, responsabilizando a empresa caso os vídeos não sejam removidos.

Os casos têm mobilizado diretores e professores de escolas, familiares e a polícia, que investiga se o jogo realmente existe e quem seriam os responsáveis por estimular as agressões.

A Procuradoria Regional do Direito do Cidadão já garantiu que onze vídeos – os quais influenciavam jovens a participarem do desafio – fossem removidos. A investigação sobre os canais que divulgam os conteúdos começou neste ano, depois que o Instituto Dimicuida – com sede em Fortaleza – apontou, ao MPF, a existência de pelo menos 19 mil vídeos com tal conteúdo na internet. Uma reunião entre os procuradores do MPF paulista, o Google e a entidade cearense deve acontecer ainda em abril. O objetivo é buscar mecanismos para realizar a filtragem dos vídeos.

 

Fonte: O Dia