A influenciadora Kéfera foi condenada a pagar 25 mil reais de indenização a um taxista por divulgar um vídeo em que discutia com ele mostrando seus dados pessoais. De acordo com o juiz Jair de Souza, a reação da autora do vídeo foi desproporcional e inconsequente, uma espécie de “vingança privada”.

O caso aconteceu em julho de 2015 e naquela época foi muito comentado, além de dividir a opinião do público na internet. Vale ressaltar que a discussão se iniciou depois de o motorista proibir Kéfera de comer dentro do veículo. Durante a confusão, a criadora começou a filmar o motorista e acabou expondo seus dados pessoais, como o número de telefone. Além disso, a paranaense pediu que seus fãs denunciassem o condutor no DTP (Departamento de Transportes Públicos).

“O uso inconsequente destas vias para macular a honra e a imagem do requerente implicou em transtornos que em muito extrapolam a esfera do dissabor, a ponto de criar uma verdadeira onda de ódio e perseguição a sua pessoa, principalmente no ambiente em que aufere renda e sustento”.

O taxista afirmou, na ação, que após o ocorrido recebeu mais de 5 mil ligações e mensagens, algumas das quais continham ameaças morais e de morte. O motorista, além de pedir uma indenização por danos morais, solicita que a Google retire os vídeos referentes ao caso.

O juiz condenou a youtuber por considerar que ela foi desproporcional com a discussão e destacou que Kefera é seguida por milhões de pessoas, o que implica o uso com responsabilidade de sua imagem. A sentença pode ser lida aqui.

 

Fonte: ConJur